Uma má notícia, você viveu enganado!

Hoje em dia existe uma crescente demanda da comida mexicana no Brasil, como alguns anos  atras aconteceu com a comida japonesa.

Quando procurada por aciduos clientes em restaurantes, buffets, bares, boates, lanchonetes, food trucks, feirinhas e assim por diante, muitos deles ficam decepcionados pela prestação do serviço ou mesmo o sabor e aromas das refeições apresentadas.

Quando você pergunta a um mexicano a sua opinião sobre a cozinha Tex-Mex é como dar um chute na barriga, o simple fato de ouvir o nome dela nos incomoda, e nos referimos a isso com desprezo “Nada a comparar…”

Foto: Germán Canseco

Sabemos muito bem, que ha tido a fortuna de viajar pelo mundo, “infelizmente com passaporte falso”, inclusive no Brasil. Certamente é decepcionante, embora a cozinha não seja a culpada.

Para entender o gênero Tex-Mex , antes de tudo devemos considerá-lo como um componente da culinária regional dos EUA, que não pretende ser nada além disso.

Sua origem bem das migrações de mexicanos, claro, na procura por um sonho, por novas experiências, por uma melhor vida!

A primeira migração foi no final do século XVI, na época das missões espanholas, quando esses colonizadores trouxeram um grande número de animais, além de suas tradições e costumes, que tinham que ser combinados com as costumes dos nativos da região.

A seguinte influência vem com uma segunda migração espanhola, particularmente das Ilhas Canárias. Muitos desses colonos chegaram acompanhados por seus servos, a maioria do norte da África, e eles trouxeram consigo pratos ​​característicos à base de carne temperada, particularmente cominho e semente de coentro, dando origem ao início de um prato, emblema do Tex-Mex : o famoso chili com carne.

A terceira migração e possivelmente a que mais contribuiu foi a dos habitantes do México central que migraram para o Texas, uma região ainda pertencente ao México a mediados do século XIX, levando consigo a bagagem cultural e culinária de seus lares.

Autor: García Cubas, Antonio, 1832-1912.

Um exemplo claro é o queijo Cheddar, que na época era muito mais fácil de obter pela influência inglesa arraigada, do que os queijos tradicionais “brancos” do México central. Embora o Texas se tornasse independente anos depois, isso foi apenas político, já que culturalmente e gastronomicamente impossível.

A quarta migração, foi durante a segunda guerra mundial, pela carência de mão-de-obra, EUA assinou em 1942 um acordo com o México, conhecido como o Programa Bracero, permitindo o envio de trabalhadores mexicanos para zonas agrícolas do Sudoeste americano.

Foto: Autor desconhecido.

A primeira vez que a abreviação “Tex-Mex” foi usada em 1875 e foi estabelecida para se referir à rota do trem Texas-México; da mesma forma que a famosa estrada de ferro Vitória-Minas “EFVM” no Brasil.

Foto: Autor desconhecido.

Foi até o início do ano de 1970, quando começou a ser usado como referência para a culinária típica da região, quando surgirem as primeiras franquias de fast food “Tex-Mex”. É assim que surge a nomenclatura, que ainda é válida hoje.

Provavelmente a pessoa que mais fez para defender esta cozinha é Robb Walsh, autor de vários best-sellers e ganhador do prêmio James Beard duas vezes pela melhor redação da gastronomia, além de ser um chef experiente que se dedicou a pesquisar e documentar a história do Tex-Mex.

Algumas diferencias:

  1. Mas não há dúvida nenhuma, o simple fato da Gastronomia Tradicional Mexicana ser reconhecida pela UNESCO em 2010 como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade enaltece seu valor ao topo do mundo.

    Foto: Sectur
  2. Gastronomia Tradicional Mexicana tem mas de 3000 anos X uma cozinha relativamente em fraudas com 150 anos.

  3. A Gastronomia Tradicional Mexicana representa a todo um país com 6 regiões gastronômicas e 18 roteiros gastronômicos X a Tex-Mex, só uma cozinha regional do estado de Texas, EUA.

    Foto: Sectur
  4. As 6 regiões gastronômicas “espanhol”.

    • Mar y desierto.
    • El noreste.
    • El Pacífico del centro.
    • Campo y ciudad.
    • Entre dos mares.
    • El sureste.
  5. Os 18 roteiros gastronômicos “espanhol”.

    • Los fogones entre viñas y aromas del mar.
    • Cocina de dos mundos.
    • La mesa de la huerta y el mar.
    • El altar del día de muertos.
    • La ruta de los mercados.
    • El sabor de hoy.
    • Platillos con historia.
    • Cocina al son de mariachi.
    • Los sabores del mar.
    • La cultura del maguey.
    • Del mar a la laguna.
    • Del café a la vainilla.
    • Los mil sabores del mole.
    • Los dulces sabores de antaño.
    • La ruta del cacao.
    • Los ingredientes mestizos del Mayab.
    • El sazón minero.
    • Entre Cortés y viñedos.
  6. A Milpa, um complexo sistema agrícola e cultural com séculos de existência. A rotação de safras mantém a fertilidade das terras e reduz a erosão. Milho + feijão + abobrinha + pimenta + quelites interagem em um mesmo ecosistema. Ingredientes mexicanos tradicionais como o Acitrón “cactus”, Epazote “mastruz”, Cuitlacoche ou Huitlacoche “carvão de milho”, Cilantro “coentro”, Xoconoxtl “figo da Índia acedo”, Jícama “Jacatupe”, Quelites “PANCs – Plantas alimenticias não convencionais no Brasil”, entre muito outros, estão ausentes na cozinha Tex-Mex.

    Foto: Sectur
  7. Os queijos mexicanos todos eles brancos, como Panela ou Canasto, Blanco ou Sierra, Chihuahua ou Menonita, Manchego, Asadero, Cotija, Oaxaca, Bola ou Ocosingo, harmonizam infinidade de pratos mexicanos “já falarei em um futuro post das características físico químicas” X queijo Cheddar aquele amarelo, usado como base na cozinha Tex-Mex.

  8. Os pratos mais representativos segundo os mexicanos.

    • O mole.

      Foto: Autor desconhecido.
    • O pozole.

      Foto: Vía México
    • A pimenta a moda nogada.

      Foto: Vía México
    • Os tacos “A santíssima trindade mexicana, composta por tortilla, o recheio e o molho preferentemente apimentado, além de limão e sal”.

      Foto: O Chapelão
    • As enchiladas – Bicentenario, Hidrocalidas, Salseadas, Suizas, Mineras, Poblanas, Potosinas, Queretanas.

      Foto: O Chapelão
  9. Os pratos mais representativos segundo os Tex-Mex.

    • O chilli com carne.
    • O taco shell.
    • Os nachos “De berço mexicano, receita do Ignacio (Nacho) Ayala – Piedras Negras, Coahuila – MEX, faz frontera com a cidade Eagle Pass, Texas – EUA”.
    • Os burritos “De berço mexicano, receita do Juan Mendez – Cidade Juarez, Chihuahua – MEX, faz frontera com a cidade El Paso, Texas – EUA”.
    • As chivichangas ou chimichangas “De berço mexicano, receita típica do estado de Sonora – MEX, divisa com os estados Arizona e Novo México – EUA”.
  10. Que dizer dos autênticos tiragostos mexicanos, desejada e despreciada por muitos; a famosa fórmula do régimen… a Vitamina T, assim chamada porque a grande maioria e suas variantes inicia com a letra T.

    • Tacos, Tamales, Tetelas, Tlacoyos, Tlayudas, Totopos, Tostadas, Tortas.

      Foto: O Chapelão
    • Derivados com tortilla común: Chalupas, Garnachas, Panuchos, Paseadas, Picadas, Pelliscadas, Salbutes, Solitos.

      Foto: Autor desconhecido
    • Derivados com tortillas grosas: Bocoles, Chambergos, Gorditas.

      Foto: Autor desconhecido
    • Derivados con tortilla fría (dormida ou velha): Tostadas, Totopos, Chilaquiles.

      Foto: Ivone Gomes
    • Derivados con massa de tortilla de formas diversas: Cazuelitas, Enchiladas potosinas, Huaraches, Itacate, Memelas, Peneques, Sopes, Tecocos, Tlacoyos.

      Foto: Vanessa Brandhuber
    • Os tamales: Barbones, Borracho, Chamitles, Chachamitos, Corundas, Dzotobichay, Encuerados, Estabinguis, Mucbipollos, Nacatamales, Nejos, Nixcocos, Padzitos, Pibipillos, Pintos, Pulacles, Uchepos, Unguis, Xocos, Zacahuil.

      Foto: Vía México

E após 5 anos de pesquisa de ingredientes disponíveis no Brasil, temos a certeza vocês poderão viver autênticas experiencias mexicanas conosco.

5 comentários em “Uma má notícia, você viveu enganado!

  1. Lúcio Onofre soares Responder

    Parabéns pela pesquisa! muito rica em informações e conhecimentos histórico e territorial.
    Sem dúvidas, esse tipo de pesquisas vêm de fontes genuínas e verdadeiras.

    • Marco Meléndez Autor do artigoResponder

      Lúcio, muito obrigado pelos seus comentários.

  2. Dirléia Neves Responder

    Achei muito interessante e de grande valia o texto com as informações sobre o México e sua cultura gastronômica. Agora estamos bem informados. Parabéns Marco Antônio e sucesso…..

  3. Luciane Responder

    Parabéns Marco Antônio, a cada dia me apaixono mais pelo seu país e por todas estas informações que você realizou neste trabalho, realmente algumas eu desconhecia.
    Eu como brasileira e agora morando no México aprendo cada vez mais, estar em contado com todas essas culturas, tradições e principalmente degustar os pratos típicos é maravilhoso, confesso que sentirei saudades depois que eu retornar. Já estou me sentindo uma BraMex rsrs.
    Felicidades e muito sucesso nestas investigações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *