Sua majestade da cozinha internacional – É MEXICANO!

Já imaginou, um churrasco sem vinagrete?

Comeria, cachorro quente sem molho de tomate?

Acredita: a ratatouille um dos clássicos da cozinha francesa sem tomate?

Qual seria o sabor de uma lasanha sem molho pomodoro?

Como poderia refrescar-se no verão andaluz na Espanha com uma fresca sopa de gaspacho sem o tomate?

Apreciaria, uma pizza napoletana sem tomate?

Imagina, umas tapas catalanas Pa amb tomàquet sem tomate?

Experimentaría, uma hamburguer estadounidense sem ketchup?

O que há de um Bloody Caesar sem suco de tomate?

Pois bem, o que seria de nós sem sua majestade o TOMATE.

A origem

Sua origem etimológica, vem da língua náhuatl “xitomatl”, onde “xictli” é umbigo, e “tomatl” significa tomate, isto é, tomate com umbigo.

Quando a América foi descoberta em 1492 o tomate já era conhecido pelos habitantes do México e de quase toda a América Central, não como alimento, mas, como uma planta decorativa.

Recebeu esse nome pela cicatriz que deixa o pedúnculo no momento de desprender-se da planta.

Com a chegada dos espanhóis no México, na obra prima do Frai Bernardino de Sahagún“ História geral das novas coisas da Nova Espanha”, em 1529 ele descreveu suas observações do “Grande mercado de Tlatelolco” na cidade de Tenochtitlan “hoje Cidade do México”, onde tinham à venda 3 de 7 tipos diferentes.

Nos diversos e esclarecedores relatos, ele escreveu:

“Fruta colorida em tons variados de amarelo e vermelho, uma descrição pensada para se referir às diferenças entre tomates e tomatillos (Physalis ixocarpa) ”

Assim, o Tomate foi levado para a Espanha em 1532 e expandiu-se por toda a Europa Mediterrânea, mas ainda como planta decorativa e algumas vezes como remédio. Era receitado contra dores musculares, insuficiência renal, formigamento nos membros superiores e inferiores e cãimbras.

Os primeiros conhecimentos registrados na Europa para o tomate, foram escritos pelo doutor e botânico Pietro Andrea Mattioli em seu “Commentarii” de 1554.

Pietro Andrea Mattioli por Alessandro Bonvicino 1533

Ele escreveu de sua recente chegada à Itália de uma nova planta que ele chamou “mala áurea” (latim maçã dourada), nome que traduzido ao italiano é “pomi d´ouro”.

Agora sabemos a origem do famoso, delicioso e magnífico molho de pomodoro.

Vivendo e aprendendo! A pouco não?

Na atualidade

Hoje em dia, nas feirinhas, sacolões e supermercados no Brasil e o mundo, pode se encontrar uma diversidade de tomates.

  • Tomate Carmen ou Longa Vida
  • Tomate Caqui
  • Tomate Holandês
  • Tomate Deborá
  • Tomate Italiano
  • Tomate Cereja
  • Tomate Sweet Grapes

O tomate é tão comum em nossas vidas, que poucas vezes nos permitimos em filosofar na relevância que tem para todas as cozinhas do mundo.

Verdade?

Conquiste experiências mexicanas conosco!

Bom proveito e até uma próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *