Porque eu faço o que eu faço?

Ele se chama Joel e de carinho suas netas chamam ele de “Chabuelo”.

O Chabuelo teve uma infância com dificuldades, pois provinha de uma família humilde e simples.

Mas ele com perseverança e empenho logrou destacar-se em cada um de seus trabalhos, pois teve oportunidade na década dos 70´s iniciar seu andar profissional quando a era da informática iniciava.

Ele logrou chegar a posições gerenciais de empresas transnacionais do ramo farmacêutico, transportadoras navais e editorial. Sendo um apaixonado pela informática!

Dele aprendi a paixão pelas atividades que nos fazem vibrar, pelo que faz nossas ideias girar até dar certo, sem desistir.

Ainda também, a cada final de semana ou período de nossas férias escolares de semana santa, verão ou de inverno, ele planejava em acordo com a minha mãe os percursos para conhecer o México.

De porto a porto!

Posso dizer com orgulho que conheço México, mas do que você pode imaginar, graças ao meu pai.

Umas das suas prioridades em casa sempre foi a nossa alimentação, pois ele não desejava que nós passássemos as dificuldades que ele teve de infância.

Você irá se perguntar o que tem a ver um tópico com outro?

Mais do que poderia imaginar.

Quando viajávamos ao litoral no Pacífico, Golfo ou Caribe mexicano, ele sempre procurou os mercados de peixes e frutos do mar, incluso as comunidades de pescadores locais, tipo as comunidades Caiçara do litoral das regiões Sudeste e Sul do Brasil.

Lembro, perfeitamente comer os melhores camarões Extra Colossal U-10 de minha vida em Mazatlán, Sinaloa, um delicioso caldo de peixe em Veracruz, Veracruz, e por suposto o predileto dele o Cocktail “Vuelve a la Vida” em Cancun, QR.

Já ouviu falar deste clássico da cozinha tradicional mexicana de litoral?

Esta iguaria sem igual, é preparada com frutos do mar, os quais eram vendidos na madrugada pelos pescadores na Terminal Marítima Puerto Juarez em Cancun, QR; chegando fresquinhos ao amanhecer em nossas mãos.

Acordavamos bem cedo, meu pai, irmão e eu para ver chegar aos pescadores com aquelas barcaças cheias dos tesouros do mar.

E só depois chegavamos com a Teresinha “Minha mãe”, quem com esperteza e delicadeza preparava para todos nós um grandioso banquete.

Uhmmm, estou com a boca cheia de água! Caracoles!!!

Seguramente você também!

Que vontade, vou ter que dar um pulo para Vila Velha, ES, só para matar a saudade.

Más o que é o tal “Vuelve a la vida”?

É este mesmo…

E aqui te comparto uma de minhas receitas favoritas!

  • 500 gramas de camarão 7 barbas
  • 150 gramas de polvo cozido e cortado em pequenos pedaços
  • 18 ostras frescas grandes desconchadas com água
  • 10 amêijoas sem concha
  • 1 xícara de ketchup (Sugiro para uma experiência extraordinária uma de boa reputação, começa com He…, e não aquelas ketchup vagabundas que entregam no sachê para o X-Tudo ou Pizza)
  • 2 colheres de azeite de oliva
  • 3 colheres de molho valentina
  • 3 colheres de molho tabasco
  • 1 xícara de suco de limão
  • 3 colheres de suco de laranja
  • 1/4 de colher de orégano
  • 2 tomates vermelhos firmes finamente picados
  • 1/4 de cebola finamente picada
  • 1/4 de xícara de coentro finamente picada
  • 2 pimentas serrano finamente picadas
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • Camarão grande cozido, descascado com rabo, para decorar
  • Avocado “Hass” cortado em fã, para decorar
  • Coentro ao gosto para decorar
  • Biscoitos salgados para acompanhar

Desejando seja de seu agrado, me diga o que achou desta delicia do mar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *